Implantação

Além de fazer o uso correto das inúmeras tecnologias disponíveis, os processos produtivos precisam ter o suporte de sistemas de gestão que contemplem os aspectos sociais, ambientais e econômicos, de modo a assegurar a rentabilidade e a competitividade dos empreendimentos rurais.

As propriedades rurais que aderirem ao Programa de Boas Práticas serão avaliadas quanto ao atendimento desses requisitos, mediante a aplicação de uma lista de verificação. A aplicação dessa lista permite uma melhor visualização dos pontos que necessitam de melhorias, e que se não corrigidos podem limitar a produtividade e a rentabilidade dos sistemas produtivos.

Os itens que compõem os diversos pontos de controle avaliados pela lista de verificação são classificados como obrigatórios (O) e altamente recomendáveis (R+), de acordo com a sua importância.

Os percentuais de conformidade a serem atendidos variam de acordo com a importância dos itens analisados. Para os itens obrigatórios (O) esse percentual varia de 80 a 100% e para os altamente recomendáveis varia de 60 a 80% . Dependendo do percentual de atendimento de cada item a propriedade pode se enquadrar nas seguintes categorias: BRONZE: atendimento de 80% dos itens obrigatórios (O) e 60% dos altamente recomendáveis; PRATA: atendimento de 90% dos itens obrigatórios (O) e 70% dos altamente recomendáveis e OURO: atendimento de 100% dos itens obrigatórios (O) e 80% dos altamente recomendáveis. O tempo necessário para que essas metas sejam atendidas poderá variar entre propriedades, de acordo com o tempo necessário para a sua correção e a disponibilidade de recursos.

As propriedades que atenderem a esses requisitos e que tenham interesse em fazer uso deste protocolo, como um instrumento de gestão e controle de qualidade, receberão da Embrapa e das entidades parceiras, por ela credenciadas, um atestado de adequação.

Quando houver necessidade de certificação da  propriedade rural e os custos envolvidos nesse procedimento justificarem o investimento, o atestado de adequação emitido pela Embrapa poderá facilitar a obtenção desses certificados de qualidade, emitidos por organismos independentes e credenciados pelo Inmetro (ISO 65).

As sugestões para eventuais atualizações desta lista de verificação devem ser encaminhadas ao coordenador do Programa BPA, na Embrapa Gado de Corte. Essas sugestões serão apresentadas aos componentes do Comitê Gestor do PRÓ-BPA (Programa Nacional de Fomento às Boas Práticas Agropecuárias), instituído pela Portaria Interministerial N. 36 de 25 de janeiro de 2011, para análise e futuro incorporação se aprovadas pelo Comitê.

 

Vantagens com a implantação

  • Vantagens para o setor produtivo

É uma ferramenta de gestão, que quando aplicada corretamente, resultará na redução dos custos de produção e no aumento da rentabilidade. Além disso, a garantia do fornecimento de alimentos seguros, provenientes de sistemas de produção sustentáveis, poderá facilitar o acesso aos mercados mais exigentes, tanto nacional como internacional.

  • Vantagens para entidades parceiras

Direcionar, de forma eficaz e rápida, ações de geração e/ou transferência de tecnologia para o fortalecimento do setor produtivo brasileiro.

Benefícios com a implantação

– Identificação e correção dos pontos críticos;
– Redução das perdas e da má utilização de produtos;
– Redução de riscos: ações trabalhistas e ambientais;
– Melhoria da qualidade da carcaça e do couro;
– Agregação de valor e melhoria da competitividade;
– Acesso a mercados diferenciados;