Ciclo da pecuária

O ciclo da pecuária é um fenômeno caracterizado pela flutuação dos preços do gado e da carne, com fases de baixa e de alta que se repetem de tempo em tempo.

Essa flutuação é causada pela natureza da pecuária de corte, uma atividade de ciclo longo em que a resposta da produção a estímulos externos, como os preços recebidos, acontece de forma muito lenta.

Assim, quando cresce a oferta de bois gordos, os preços caem, e as demais categorias (bois magros, bezerros e matrizes) também desvalorizam. Pressionados por dificuldades financeiras, os criadores vendem mais vacas para o abate. O abate de fêmeas aumenta a oferta de carne e os preços caem ainda mais.

Com a redução do número de matrizes, fica comprometida a produção de bezerros, a reposição dos animais do rebanho de cria e a oferta futura de bois para o abate. Depois de alguns anos, a escassez de bois para abate e de novilhas para reposição das vacas descartadas força a elevação dos preços, recomeçando o ciclo.

É interessante notar que a duração de um ciclo completo, outrora em torno de 8 anos, vem se reduzindo por conta da diminuição na média da idade de abate dos bovinos. Hoje o ciclo dura em torno de 5 a 6 anos.

Atualmente estamos presenciando um ciclo de alta do preço do bezerro, com cotações chegando a patamares muito altos, na casa dos R$ 2 mil,  e trazem a dúvida se a conta vai fechar, quando consideram este patamar de preços de bezerro para reposição, o valor da arroba do boi gordo praticado no mercado e o cenário adverso causado pela pandemia do novo coronavírus.

 

O preço estável e mais baixo da arroba do boi gordo, em conjunto com o preço crescente do bezerro, fez com que a relação de troca bezerro/arroba do boi gordo atingisse o patamar mais alto em 18/03/2020, 60,2% superior ao valor de 22/11/2019 (10,4@ para cada bezerro). Em 11/05/2020, a relação de troca esteve 55,2% mais alta do que em 22/11/19 (10,1@ para cada bezerro). Para os recriadores, esta relação atingiu um dos piores patamares da série histórica de 26 anos acompanhada pelo CEPEA.

Assim, recomenda-se fortemente aos pecuaristas a utilização de ferramentas de comercialização que minimizem o impacto da volatilidade de preços do mercado pecuários nos seus negócios.

#pecuaria #carnebovina #agricultura #agropecuaria #agronegocio #inovacao #comunicacao #ciencia #pecuariadecorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *