You need to set up the menu from Wordpress admin.
dez 14, 2009
Josimar Lima do Nascimento
Comentários desativados em Embrapa realiza mesa-redonda sobre os impactos da mosca-dos-estábulos

Embrapa realiza mesa-redonda sobre os impactos da mosca-dos-estábulos

Foto Arquivofoto
O surto da mosca-dos-estábulos (Stomoxys calcitrans) no rebanho bovino tem preocupado pecuaristas e usineiros.

ANO 6 – Edição 825 – 11/12/2009
Periodicidade Semanal

Na próxima sexta-feira, dia 18, a partir das 14 horas, na sede da Embrapa Gado de Corte, situada à BR 262, km 4, em Campo Grande-MS, será realizada uma mesa-redonda sobre a mosca-dos-estábulos, sua importância e impactos para as cadeias produtivas da pecuária bovina e sucroalcooleira sul-mato-grossense.

Na ocasião será apresentada uma publicação elaborada por pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, em parceria com os professores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), após uma série de visitas aos principais focos do problema em MS e experimentos conduzidos em laboratório. No documento demonstrou-se e discutiu-se a biologia do inseto, sua importância epidemiológica, econômica, veterinária e possíveis alternativas de controle.

O surto da mosca-dos-estábulos (Stomoxys calcitrans) no rebanho bovino dos municípios da região sul de Mato Grosso do Sul tem preocupado pecuaristas e usineiros, inclusive, há notificações do ataque em outros Estados, como São Paulo e Minas Gerais. Desta forma, um grupo formado por representantes de sindicatos de produtores rurais, Governo do Estado e Federal, extensão rural, universidades, empresas privadas e instituições de pesquisas, como a Embrapa, organizaram-se para debater alguns meios de se combater a Stomoxys.

A mosca-dos-estábulos tem aproximadamente o mesmo tamanho e aparência geral de uma mosca doméstica. Ela alimenta-se de animais de sangue quente e é encontrada nas vizinhanças de estábulos ou áreas de pastoreio. O dano causado por sua picada dolorosa e também pela perda de sangue e a irritação que leva os animais a se tornarem menos eficientes, a torna uma praga relevante para os pecuaristas.

Redação Dalízia Aguiar

 

Comments are closed.

Anos anteriores