Modelo auxilia na indicação de quantidade viável de substituição de pastagem no Pantanal

Pastagens naturais do Pantanal exigem cuidados da pesquisa para eventual substituição. Foto: Rui Madruga.

A pesquisadora Sandra Aparecida Santos, da Embrapa Pantanal, está avançando na construção de uma ferramenta que ajude o produtor pantaneiro a tomar decisões relacionadas à substituição de pastagens nativas por exóticas. Dados levantados pelo Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) em 15 propriedades do Mato Grosso foram disponibilizados a ela. Embora sejam necessárias pelo menos 20 propriedades, uma análise inicial será feita.

Junto com outras informações de pesquisas prévias da Embrapa Pantanal (Corumbá-MS), Sandra pretende entregar um modelo que indique a quantidade viável de substituição de pastagem, do ponto de vista econômico e ambiental. O pesquisador Walfrido Tomás, da mesma Unidade, está analisando aspectos da diversidade da paisagem dessas fazendas, importante para a obtenção da ferramenta final.

O desenvolvimento do modelo será executado por Geraldo Souza, da Embrapa Sede. Dados como lucro x receita, fluxo de caixa e valor da terra foram levantados pelo Imea e serão aplicados na construção do modelo. Por enquanto, as informações obtidas são de fazendas do Estado de Mato Grosso, mas o centro de pesquisa já começou a mobilizar propriedades do Mato Grosso do Sul para ampliar a amostragem.

Por enquanto, as informações obtidas são de fazendas do Estado de Mato Grosso. Foto: Walfrido Tomás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *